Sexta, 01 Janeiro 2010 18:05

NICODEMOS E O NOVO NASCIMENTO

Escrito por Pr. Lawrence Olson
Avalie este item
(0 votos)

João 3: 1 E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
2 Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.

 

3 Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
4 Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
5 Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
6 O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
7 Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
8 O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
9 Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?
10 Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?
11 Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho.
12 Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?
13 Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.
14 E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;
15 Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

 

(Evangelho de João 3:1-16)

A NECESSIDADE DE UM NOVO NASCIMENTO

O caso de Nicodemos é o caso de um homem que tem uma fé superficial que precisa ser aprofundada e fortalecida, mas que não deve ser despresada.

  1. O Visitante Noturno (Jo 3:12). Evidentemente, Nicodemos escolheu a noite para se entrevistar com Jesus porque de dia tinham as multidões que precisavam da atenção do Mestre. Nicodemos era homem de bom trato, educado , que havia observado os milagres que Jesus operava. Procurou-o por que desejava maiores esclarecimentos. Mais tarde ele defendeu Jesus perante o Sinedrio e ajudou no seu enterro (Jo 7:50,51 ; 19:39).Realmente a sua fé cresceu, e, quando os discípulos fugiram com medo dos judeus ele permaneceu fiel ao Mestre. É possível que a entrevista de Nicodemos com Jesus tenha sido organizada por um grupo de lideres religiosos, impressionados com o crescimento do ministério de Jesus, de quem suspeitavam de que possivelmente seria o prometido Messias pelos profetas
  2. Uma alma necessitada(v.3). Jesus em vez de responder às meras palavras de Nicodemos fez o que era muito mais importante: Ele satisfez os profundos anelos de sua alma. Jesus conhecia o que estava no coração de Nicodemos, como conhece plenamente a todos os homens. Nicodemos julgava que ele tão somente precisava de quem o instruísse, pois era um homem de moral, religioso e bem intencionado. Ele tinha a mesma opinião dos judeus, e naturalmente pensava também que a entrada no reino de Deus dependia apenas dos méritos da pessoa e de ser descendente natural de Abraão. Jesus não deu importância às suas frases elogiosas, mas logo lhe ensinou que a entrada no reino de Deus não se consegue só por se tornar menbro de uma organização.

A NATUREZA DO NOVO NASCIMENTO 

  1. A sua aparente impossibilidade (Jo 3:4). Nicodemos compreendeu que Jesus

falava da necessidade de se operar um milagre mas ao mesmo tempo pensou que para ele isso já era impossível, devido a sua formação judaica , aos seus costumes e hábitos e a sua idade. O novo nascimento parecia tão impossível quanto nascer fisicamente a segunda vez.

  1. Os meios do novo nascimento (vv. 5,6). Jesus nestes versículos mostrou-lhes que a primeira necessidade era a purificação de todos os pecados que lhe causaram a morte. Os fariseus eram de opinião que somente os gentios precisavam de purificação e por essa razão eles batizavam os prosélitos (as pessoas que abraçavam o judaísmo, vindas de outras religiões) que abandonavam a idolatria. Jesus obrigou Nicodemos a reconhecer a sua necessidade  da mesma purificação de que precisava o desprezado gentio. Essa purificação seria efetuada pela Palavra de Deus e pelo Espírito Santo resultando na conversão genuína e total. “Segundo a sua misericórdia nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo” (Tt 3:5 ; Ez 36:25-27).

      O novo nascimento não é apenas uma experiência facultativa, mas sim essencial à salvação, por causa da natureza do reino de Deus.

  1. Uma realidade misteriosa (vv. 7,8).  Jesus usou a ilustração do vento para explicar a obra misteriosa do Espírito operada no novo nascimento. Nicodemos mantinha muitas reservas quanto à possibilidade do novo nascimento. Ele queria saber como seria isso. Jesus falou do vento, querendo demonstrar como a operação do Espírito no novo nascimento foge à analise cientifica e racional humana. O vento também é um mistério, ate hoje também é desconhecido em muitos pormenores; contudo, ninguém nega a sua realidade. Seus efeitos são bem conhecidos de todos. Não seria então razoável que a “pneuma” ( no grego, vento ou espírito) do céu também tivesse seus efeitos sobre a natureza humana? Esses efeitos são justamente as vidas transformadas (Gl 5:22,23 ; At 2:3 ; 1Co 12:7).

A FONTE DO NOVO NASCIMENTO

  1. O Próprio Cristo ( Jo 3:9-13). Nicodemos expressou o desejo de experimentar em si o novo nascimento. Jesus, com grande habilidade, chamou-o a atenção dizendo: “Mas o Sr. é professor para os outros e não sabe pra si? Que é isso Nicodemos?” Para Nicodemos chegar a verdadeira compreensão espiritual era necessárias as três seguintes coisas: a) Teria que aceitar a autoridade de Jesus. Jesus lhe disse : “Na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que vimos...” b) teria que desistir de querer saber do “como” da operação do Espírito, isto é, sua manifestação na terra, e concentrar-se em deixar isso nas mãos de Deus. c) Teria que compreender que as coisas espirituais não ocorrem por meio de causas naturais. “Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?” (v. 12). Seria necessário aceitar a palavra de Cristo, confiando nele absolutamente.
  1. O Juízo divino sobre o pecado (vv.14,15). A fim de ajudar Nicodemos a compreender o plano de Deus para o novo nascimento, Jesus usou a ilustração da mordedura da serpente no deserto, e a serpente de metal. A cura era pela fé. Bastava que o israelita mordido pela serpente venenosa olhasse para o metal, na haste, para ficar curado. Do mesmo modo devemos olhar com fé para Jesus Cristo a fim de receber a vida.
  1. O Próprio amor de Deus (v.16). Eis a verdadeira fonte do novo nascimento. O amor de Deus! Isso explica tudo! O amor de Deus tão rico e puro! Tão insondável e real! Como se vê em Rm 5:8, a maior expressão da natureza eda eficácia do amor de Deus é justamente a cruz do Calvário. Não é de admirar que Paulo tenha declarado: “Nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado” ( 1Co 2:2).

                                             Escrito por Pr. Lawrence Olson

 Retirado da publicação da revista de escola dominical da CPAD,

4ª lição, 2º trimestre de 1984.

Lido 5208 vezes Última modificação em Sexta, 12 Outubro 2012 12:16

Jovens Consagrados